sábado, 6 de fevereiro de 2016

42 DIAS QUE VALERAM A PENA

Dr. Victor Hugo à direita e Dr. Alexandre à esquerda

Dr. Cesar, outro médico da equipe


Foram exatos 42 dias que passei internado no Hospital das Clínicas, no Recife. No dia da consulta com o Dr. Gustavo,  ortopedista,  ele solicitou alguns exames e, para isso, eu teria que ficar internado. A ida ao hospital era para realizar exames, mas fomos pegados de surpresa, eu e minha esposa Zilma, que sempre está ao meu lado em todas as horas. Fazer o quê?  Se é para cuidar da nossa saúde, que seja cumprida a ordem do especialista. Afinal ele é quem sabia da necessidade ou não do internamento e dos exames que deveriam ser feitos. E assim aconteceu. Com toda a documentação preparada pelo Dr. Victor Hugo, rumamos para o 9º andar e ocupamos a enfermaria 922, sendo no dia seguinte transferido para a de número 920. Os exames foram providenciados. Uma porrada de exames, diga-se de passagem. No final das contas, através de uma ressonância magnética, descobriram que eu estava com uma pequena infecção no osso do púbis, o que necessitaria usar uma medicação à base de antibióticos. E essa medicação somente poderia ser administrada por via endovenosa, uma vez que um dos antibióticos não tinha substituto em forma de comprimidos que pudesse  ser tomado na residência. Eram dois antibióticos, aplicados às 6 da manhã e 6 da tarde, através daquilo que popularmente é chamado de “atalho”. Fui “furado” diversas vezes em ambos os braços, mas as queridas enfermeiras faziam isso com o maior carinho, ainda bem.  Para resumir, tudo correu bem, graças a Deus, e após 6 semanas recebí a boa e tão esperada notícia de que estava tudo bem comigo e que eu poderia voltar para casa, o  que aconteceu no dia 22 de dezembro, pertinho do Natal. Durante esses 42 dias fizemos, eu e Zilma, inúmeras amizades com os médicos, enfermeiras e enfermeiros, que nos atendiam com muito carinho. Nessa oportunidade, agradeço o empenho dos Drs. Alexandre, Victor Hugo e Cesar, comandados pelo Dr. Gustavo Torres, pela maneira como se interessaram pelo meu problema de saúde. Saí do hospital com a saúde recuperada e hoje, segundo a revisão que me submeti, estou completamente curado e pronto para seguir cumprindo minha missão aqui na terra. Meus sinceros agradecimentos àqueles que torceram por mim e pediram, em suas orações, pela minha recuperação. Também aos que entraram em contato comigo, pelo Wattsapp, telefonemas e pessoalmente vieram até ao hospital. Muito obrigado a todos. Deus esteve e está no comando. antibiministrada via indovenosa gem. maria 922, sendo no dia seguinte transferido para a de nr i

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

O QUE ENSINA A NOVELA (?) MALHAÇÃO DA GLOBO



O programa foi projetado, creio eu, para a diversão da classe jovem, além de ser uma escola de formação de atores e atrizes. Eram historias interessantes, sem maldades, que podiam ser assistidas por menores de 10 anos. Mas isso não vem acontecendo. Malhação tornou-se uma novela comum, mais uma novela na programação da Globo que se especializou em dramas onde a tônica é traição, sexo, crimes, ciúmes etc... Agora, segundo pude observar num final dos capítulos, estão até ensinando como se faz para enganar os pais e transar, em casa mesmo, enquanto estudam ou “fingem” estudar.  Assim aconteceu, quando a cena mostrou um dos atores “estudando” na casa da namorada e, em dado momento, deixou de lado o  estudo e partiu pra cima da garota, na cama, aos beijos e amassos. Horrível exemplo para a criança de 11/12 anos, que está assistindo a cena e vendo o pai da garota flagrar os dois aos beijos na cama. O que vai pensar uma garota, ao ver isso? Que é normal? Outra cena mostrou diálogo de ciúme entre um casal. Tudo porque ela reclamava que ele só poderia transar com ela e ele confirmava isso. São comuns as cenas de longos, mas longos mesmo, beijos entre  os atores. Nada contra o beijo, mas bem que eles poderiam maneirar. 

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

UM EXEMPLO PARA SER IMITADO


Animais que precisam de cirurgia são tratados
no ambulatório da prefeitura
(Foto: Bem Estar Animal/Divulgação)


A partir da segunda quinzena de julho deve começar a funcionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Veterinário (Samuvet) em Florianópolis. De acordo com o diretor de Bem Estar Animal, João Eduardo Pereira Cavallazzi, o objetivo é ajudar cães, gatos e cavalos abandonados envolvidos em ocorrências como acidentes de trânsito. Somente integrantes da segurança pública poderão acionar o serviço.