quarta-feira, 26 de novembro de 2014

ADESTRAMENTO NÃO TEM IDADE PARA COMEÇAR E SÓ FAZ BEM PARA TUTORES E PETS

Advogado João Marcelo começou a adestrar Cheetos com quatro meses e hoje participam de competições de Agility. Foto: Roberto Ramos/DP/D.A Press


Fonte: Myrela Moura - Diario de Pernambuco

Um pet obediente, que faz as necessidades no lugar certo, não corre para a porta ao primeiro toque da campainha e não destrói móveis e sapatos é o sonho de todos os tutores. Mas este tipo de comportamento, claro, não é natural dos cãezinhos, mas pode – e deve – ser ensinado o mais cedo possível.

Pelo menos dois mitos circulam entre os que têm pouco conhecimento sobre as técnicas de adestramento: o de que cães muito novos ainda não estão prontos para o processo e o – oposto – de que cães adultos também não podem mais ser treinados. O adestrador Maviael Bernardo derruba ambos. “O indicado é começar ainda bem cedo, com o cachorro ainda filhote, mas treino cães de até 12 anos, desde que ele tenha sido autorizado pelo veterinário’', explica o profissional.

Neste sentido, os cães adultos são até mais trabalhosos porque já possuem certos vícios que com o tempo são mais difíceis de serem modificados. Para esses casos, a técnica de adestramento tem que ser intensiva, mas não existe um tempo certo para o fim do treinamento, isso vai depender do tipo de trabalho, da inteligência do cão e da disponibilidade do proprietário. 

Na verdade, todo cachorro precisa de treinamento, que varia dependendo do que você espera do seu pet. Se deseja transformar seu cachorro num cão de guarda, por exemplo, não deve tentar com qualquer cachorro, mesmo de grande porte. “Existe um trabalho especifico para guarda. O golden retriever, por exemplo, tem características que não se enquadram e nem todo rotweiller também está apto. Isto depende do histórico do cão,” explica o adestrador.

Além disso, cada cachorro tem uma característica que independe da raça: um é mais equilibrado, outro mais hiperativo, outros mais inseguros etc. O trabalho de adestramento é feito sempre de forma motivacional e de socialização. A filosofia é de estímulo, sempre elogiando e dando recompensas quando o animal faz algo certo. Também são ensinados os comandos de obediência, como: “fica”, “senta” e “deita”, educando o cachorro para que ele morder e fazer as necessidades no local inadequado.

A rigor, a idade certa para iniciar é logo após as primeiras vacinas. No período entre 55 a 80 dias, é a fase que o cachorro vai condensar as informações que levará para o resto da vida. É nesta fase também que se devem evitar os traumas, como por exemplo, deixá-lo trancado no escuro. Isso gera uma insegurança no cão na vida adulta.

O advogado, João Marcelo, tem um shih–tzu de 4 anos chamado Cheetos que foi adestrado desde os 4 meses. “Como moro em apartamento tinha a preocupação dele fazer as necessidades no lugar certo e que não ficasse ansioso”, conta. Cheetos aprendeu os comandos de obediência e até hoje é treinado porque participa de competições de Agility. “O adestramento de obediência dele durou 4 meses, mas até hoje mantenho uma rotina de treinos com o adestrador, duas vezes na semana.” disse o advogado. O treinamento envolve exercícios físicos.

Um cão adestrado não significa que vai atender aos pedidos de qualquer pessoa. Ele foi treinado para obedecer a um líder ou integrantes da família que ele convive. “Cães vivem em matilha, mas ele sempre vai escolher uma pessoa daquele núcleo familiar que vai gostar mais. Porém, é preciso coerência de todos os integrantes para que ajam da mesma forma com ele, fazendo ele seguir as mesmas regras para que ele não fique confuso’', conta Maviael.
O profissional aconselha que você deve procurar um adestrador antes mesmo de adotar o cachorro. “É importante procurar pessoas com experiências. As pessoas só procuram ajuda quando o cão apresenta problemas de comportamento, mas é um trabalho de educação do cão’', conclui.

Serviço:
Maviael Bernardo - 9372.5041

Nenhum comentário:

Postar um comentário