quarta-feira, 26 de novembro de 2014

ADESTRAMENTO NÃO TEM IDADE PARA COMEÇAR E SÓ FAZ BEM PARA TUTORES E PETS

Advogado João Marcelo começou a adestrar Cheetos com quatro meses e hoje participam de competições de Agility. Foto: Roberto Ramos/DP/D.A Press


Fonte: Myrela Moura - Diario de Pernambuco

Um pet obediente, que faz as necessidades no lugar certo, não corre para a porta ao primeiro toque da campainha e não destrói móveis e sapatos é o sonho de todos os tutores. Mas este tipo de comportamento, claro, não é natural dos cãezinhos, mas pode – e deve – ser ensinado o mais cedo possível.

Pelo menos dois mitos circulam entre os que têm pouco conhecimento sobre as técnicas de adestramento: o de que cães muito novos ainda não estão prontos para o processo e o – oposto – de que cães adultos também não podem mais ser treinados. O adestrador Maviael Bernardo derruba ambos. “O indicado é começar ainda bem cedo, com o cachorro ainda filhote, mas treino cães de até 12 anos, desde que ele tenha sido autorizado pelo veterinário’', explica o profissional.

Neste sentido, os cães adultos são até mais trabalhosos porque já possuem certos vícios que com o tempo são mais difíceis de serem modificados. Para esses casos, a técnica de adestramento tem que ser intensiva, mas não existe um tempo certo para o fim do treinamento, isso vai depender do tipo de trabalho, da inteligência do cão e da disponibilidade do proprietário. 

Na verdade, todo cachorro precisa de treinamento, que varia dependendo do que você espera do seu pet. Se deseja transformar seu cachorro num cão de guarda, por exemplo, não deve tentar com qualquer cachorro, mesmo de grande porte. “Existe um trabalho especifico para guarda. O golden retriever, por exemplo, tem características que não se enquadram e nem todo rotweiller também está apto. Isto depende do histórico do cão,” explica o adestrador.

Além disso, cada cachorro tem uma característica que independe da raça: um é mais equilibrado, outro mais hiperativo, outros mais inseguros etc. O trabalho de adestramento é feito sempre de forma motivacional e de socialização. A filosofia é de estímulo, sempre elogiando e dando recompensas quando o animal faz algo certo. Também são ensinados os comandos de obediência, como: “fica”, “senta” e “deita”, educando o cachorro para que ele morder e fazer as necessidades no local inadequado.

A rigor, a idade certa para iniciar é logo após as primeiras vacinas. No período entre 55 a 80 dias, é a fase que o cachorro vai condensar as informações que levará para o resto da vida. É nesta fase também que se devem evitar os traumas, como por exemplo, deixá-lo trancado no escuro. Isso gera uma insegurança no cão na vida adulta.

O advogado, João Marcelo, tem um shih–tzu de 4 anos chamado Cheetos que foi adestrado desde os 4 meses. “Como moro em apartamento tinha a preocupação dele fazer as necessidades no lugar certo e que não ficasse ansioso”, conta. Cheetos aprendeu os comandos de obediência e até hoje é treinado porque participa de competições de Agility. “O adestramento de obediência dele durou 4 meses, mas até hoje mantenho uma rotina de treinos com o adestrador, duas vezes na semana.” disse o advogado. O treinamento envolve exercícios físicos.

Um cão adestrado não significa que vai atender aos pedidos de qualquer pessoa. Ele foi treinado para obedecer a um líder ou integrantes da família que ele convive. “Cães vivem em matilha, mas ele sempre vai escolher uma pessoa daquele núcleo familiar que vai gostar mais. Porém, é preciso coerência de todos os integrantes para que ajam da mesma forma com ele, fazendo ele seguir as mesmas regras para que ele não fique confuso’', conta Maviael.
O profissional aconselha que você deve procurar um adestrador antes mesmo de adotar o cachorro. “É importante procurar pessoas com experiências. As pessoas só procuram ajuda quando o cão apresenta problemas de comportamento, mas é um trabalho de educação do cão’', conclui.

Serviço:
Maviael Bernardo - 9372.5041

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

...E O DESRESPEITO AOS IDOSOS CONTINUA




ESTA CENA EU TENHO A OPORTUNIDADE DE VER,  DIARIAMENTE,  QUANDO VIAJO DE ÔNIBUS. É  LAMENTÁVEL  QUE AINDA EXISTAM JOVENS QUE NÃO RESPEITAM OS IDOSOS,COMO SE ELES NÃO TIVESSEM PAI OU MÃE. NÃO DÃO A MÍNIMA ATENÇÃO ÀQUELES QUE, POR DIREITO, TÊM SEUS LUGARES RESERVADOS NOS MEIOS DE TRANSPORTE.  CLARO QUE EXISTEM PESSOAS AINDA DE BOM SENSO, GRAÇAS A DEUS, QUE OFERECEM O LUGAR A UM IDOSO, QUANDO ESTE ENTRA NO ÔNIBUS, MAS ISSO, INFELIZMENTE, É UMA RARIDADE.


terça-feira, 23 de setembro de 2014

FERNANDA MONTENEGRO DARÁ 'VÁRIOS BEIJOS' EM NATHALIA TIMBERG, DIZ AUTOR

Ricardo Linhares contou como será o casal lésbico de 'Babilônia', que escreve com Gilberto Braga, ao participar de Masterclass com Duca Rachid

                                    Duca Rachid e Ricardo Linhares (Foto: EGO)


Ricardo Linhares e Duca Rachid, autores de sucessos como "Saramandaia" (2013) e "Cordel Encantado" (2011), falaram dos caminhos e dificuldades para quem sonha em escrever para a TV durante a "Master class – Autoria em telenovela e minissérie", promovida sábado, 13, no Centro Cultural b_arco, em Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo. Entre os temas abordados, eles relembraram o início da carreira, enumeraram os percalços que surgem na produção de uma novela e adiantaram um pouco de seus próximos trabalhos. Ricardo comentou o casal lésbico que será formado por Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg em “Babilônia”, trama que escreve em parceria com Gilberto Braga e João Ximenes Braga para substituir "Império" às 21h.

"Queríamos avançar nessas questões do homossexual sair do armário e se assumir para a família e chegamos a um casal de octogenárias e respeitadas". Ele acredita que a aceitação será melhor que em "Torre de babel" (1998), quando as personagens de Christiane Torloni e Silvia Pfeiffer acabaram sendo mortas na explosão do shopping. "Era outra época, e tanto Torloni quanto a Silvia são mulherões. Isso vem mudando, mas até pouco tempo era ousado demais colocar ícones masculinos ou femininos em papéis gays", avalia.

Ao EGO, o autor contou um pouco mais sobre o casal. "Não estão previstos grandes beijos. Elas estão casadas há 35 anos, diferente de quem está começando um relacionamento agora. No texto existem várias situações de beijos, selinhos e trocas de carinhos entre elas e são totalmente naturais, como as dos casais héteros ou homossexuais."

Pela leveza que promete, ele espera que a história consiga ser bem desenvolvida. "Só posso responder pelo que está no texto, se vai ao ar ou não, eu não sei. Mas não veria motivo algum para cortes, está sendo feito com todo um cuidado de justificar e dar embasamento ao relacionamento das duas".

Ricardo fala da felicidade das duas com as novas personagens. "Fomos nós que propusemos os papéis para elas e as duas ficaram radiantes pelo desafio. A essa altura da carreira, elas interpretaram tudo que você possa imaginar em teatro e televisão. O fato de criar um personagem que nunca fizeram lhes deu gás, alegria, foi um incentivo muito grande, um excelente. A Fernanda já tinha me confessado em 'Saramandaia' que adorou contracenar com galinhas. Dar aos atores a chance de fazer algo diferente de seus últimos trabalhos é empolgante para eles, para os diretores e para nós que escrevemos também”.

Dificuldades
Duca abriu o debate brincando sobre os efeitos colaterais para quem quer ficar muitos meses escrevendo o que milhões de pessoas verão diariamente na TV em todo o país. "Escrever novela engorda, envelhece, faz cair o cabelo, dá crise no casamento, os filhos ficam irritados... vocês tem certeza que querem isso?", questionou.

Atualmente ela se dedica a supervisionar Manuela Dias, que desenvolve a miinissérie "Ligações Perigosas". "É uma autora nova, uma aposta diferente, mas ainda não foi batido o martelo. Caso seja produzida, será em janeiro". Duca admite que sua função não é das mais fáceis. “Fazer supervisão é muito difícil, você precisa respeitar o estilo do autor que você está supervisionando, e não querer que ele faça do seu jeito. É complicada essa equação", avalia.

Em 2006, Duca e Thelma Guedes, sua parceira em todas as novelas que escreveu na Globo, foram supervisionadas por Walcyr Carrasco nos capítulos iniciais de "O profeta". Depois, seguiram juntas até o final da trama. Para os telespectadores mais atentos a mudança na estrutura da trama foi notória. "O Walcyr tem um estilo muito próprio e, naquele primeiro momento, ele nos levou a fazer uma coisa muito parecida com o que ele fazia. Depois que ele saiu nós fomos procurar o nosso jeito de fazer. Acho que (a mudança) aconteceu naturalmente. E o próprio Walcyr admitiu pra gente: 'Eu sou péssimo como supervisor, quero que a pessoa faça do meu jeito'. Estou vivendo essa experiência agora", afirmou ao EGO.

As autoras podem ir para o horário das 21h. "A gente pretende trabalhar numa sinopse para apresentar no meio do ano que vem, e só então definir se será mesmo uma novela das 21h ou das 23h. Por enquanto é só uma proposta, não há nada definido". Entre os "muitos atores" para quem ainda quer escrever, ela sonha com nomes Fernanda Montenegro, Tony Ramos e Glória Pires.
Fonte: Gazeta Web

sábado, 20 de setembro de 2014

HOJE É DIA DE PARABENIZAR MINHA ESPOSA ZILMA UCHÔA

Zilma...


Hoje é um dia todo especial. Hoje é o seu aniversário. Um dia marcante em nossa vida. Saiba que você é uma boa parte da minha vida. Você me ajudou a sorrir. E hoje desejo não só um sorriso seu, mas um grito de felicidade. Desejo que você dê ainda muitos passos e que tenha sempre a felicidade  no seu olhar, ao seu lado, ao nosso lado, não só neste dia, mas em toda a sua vida. E é com todo amor, carinho e sinceridade que eu digo: PARABÉNS ! Que esta felicidade que te desejo hoje te acompanhe sempre, sempre. Se você não existisse em minha vida haveria um enorme vazio em mim, no tempo e no mundo. Tenho certeza que Deus subscreve, sorrindo, tudo o que acabei de escrever. UM BEIJO E FELIZ ANIVERSÁRIO !!

Não sei de quem é esta frase, mas dedico-a a você:

 “Te amo, não por quem tu és, mas por quem sou quando estou contigo”. 

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

CONFIRA AS PROPOSTAS PARA ASSISTÊNCIA ANIMAL EM PERNAMBUCO



Os principais candidatos ao governo do estado divulgaram suas ideias sobre o tema.


 Fonte: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco


Com pouco menos de vinte dias para as eleições, que acontece no dia 5 de Outubro, o Pernambuco.com inicia uma série de matérias que mostram as propostas de cada candidato para as áreas de cobertura jornalística do portal. Serão apresentadas ao longo desta semana os projetos dos principais candidatos ao governo do estado, Paulo Câmara e Armando Monteiro, direcionados à defesa animal, tecnologia, turismo e um dos modais que mais crescem na cidade, o ciclismo. As ideias de cada candidato apresentadas nessa e nas próximas matérias foram descritas pelos políticos e sua equipe de assessores e de acordo com o programa de governo divulgado de cada postulante. O primeiro tema a ser tratado será a assistência pública aos animais.


Pernambuco é o único estado do Nordeste a ter um Código de Proteção aos Animais, que corresponde a lei 15.226, sancionada em janeiro deste ano. Apesar do avanço, que inclui novas regras em relação ao trabalho, venda e transporte de animais, forças não governamentais, como ONGs e associações atuam em áreas ainda não asseguradas, ou suficientes, como saúde, maus-tratos e abandono.

Apenas na Capital pernambucana existem cerca de 100 mil cães e gatos abandonados nas ruas, segundo dados de junho da Secretaria Executiva de Direitos dos Animais (SEDA). As últimas ações promovidas nesse sentido foram feitas em 2013, quando a Prefeitura do Recife realizou evento de adoção e campanha para castração de cães e gatos.

Em um encontro entre representantes de entidades ligadas aos direitos dos animais e autoridades, que aconteceu em agosto, as principais carências destacadas pelos militantes da causa foram a construção de hospitais veterinários públicos, criação de unidades móveis de castração e vacinação, convênios com clínicas veterinárias, delegacia para repressão de maus-tratos e instalação de centros de referência animal. Confira as propostas abaixo.



 Fonte: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco

domingo, 14 de setembro de 2014

GINO CÉSAR, O REPÓRTER DO BANDEIRA 2





Tive oportunidade de trabalhar na Rádio Jornal do Commercio, exercendo a função de Gerente de Programação, isso em 1989, tendo na equipe o locutor policial Gino Cesar. Até hoje nunca conheci, no setor policial do rádio, alguém que atingisse os índices de audiência que atestam a liderança do Gino Cesar. Se você tiver a oportunidade de fazer uma pesquisa, logo cedinho nos bairros, vai encontrar a maioria dos rádios ligada no Bandeira Dois. É incrível a popularidade do programa. É comum você ouvir alguém dizer “ouvi no Bandeira Dois”. E hoje, diga-se de passagem, é muito comum, tanto no rádio como na televisão (nesta principalmente) a exibição de  programas policiais. Não posso, entretanto,  falar atualmente sobre audiência de rádio nas primeiras horas da manhã nos dias atuais. Isso fica a cargo das empresas de pesquisa. Mas não posso deixar de registrar, aqui, a audiência do ex-companheiro de rádio Gino César.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

RECIFE VIVE SURTO DE TOSSE CANINA. DOENÇA PODE SER TRANSMITIDA PARA HUMANOS

Os sintomas costumam aparecer de quatro a sete dias após o contato com os vírus


A aposentada Elisa Pedroza notou cedo que o shi tzu Nino estava doente, o que garantiu uma boa recuperação. Foto: Everson Verdião/Esp DP/D.A Press


Fique atento com a saúde do seu cãozinho. Nas últimas semanas, as clínicas veterinárias do Grande Recife registraram um aumento nos casos de traqueobronquite infecciosa canina, também conhecida como “tosse dos canis”. O sintoma mais frequente é crise de tosse, que se agrava em momentos de estresse, de emoção e em atividades físicas. 

De acordo com a veterinária Polyana Torres os donos dos animais devem ficar atentos também à própria saúde. “Pessoas com a imunidade baixa podem ser acometidas pela doença por se tratar de uma zoonose (doença que pode ser transmitida do animal para o homem)”, alerta.

Outros sintomas da doença são falta de apetite, secreção nasal, febre, dificuldade respiratória e reflexo de vômito. Eles costumam aparecer de quatro a sete dias após o contato com os agentes causadores: Bordetella bronchiseptica, o vírus parainfluenzae canina(CPV) e o Adenovírus canino tipo 2(CAV2). O tratamento é feito com antibióticos, antitussígeno e em casos mais graves Aõ relizadas sessões de nebulização. Se feito corretamente, o tratamento costuma ser bastante eficaz. 
Ao apresentar os primeiros sintomas o proprietário deve levar o animal ao médico veterinário para confirmação do diagnóstico e prescrição do tratamento adequado. O cachorrinho Nino, um shih tzu de cinco anos, contraiu a doença recentemente. A dona dele, a aposentada Elisa Pedroza, procurou um profissional logo no segundo dia de sintomas. “Eu pensei que ele estivesse engasgado porque estava com dificuldade de respirar”, disse. Felizmente, o caso do Nino não foi grave. “Ele precisou tomar antibiótico e ficar de repouso, além de evitar ambientes frios'”, completou Elisa. 

Basta um único cachorrinho estar contaminado para a doença, que é facilmente transmitida, se espalhar em parques e pet-shops. A doença aparece em qualquer estação, mas o clima mais frio de determinados meses do ano contribui para o contágio mais fácil. 


O principal sintoma da doença é crise de tosse. A traqueobronquite infecciosa canina também contagia humanos. Foto: Everson Verdião/Esp DP/D.A Press


A veterinária Polyana Torres explica que a vacinação em dia é o método mais eficaz para prevenir a doença. “Locais como pet-shops, canis, hotéis e passeios em áreas com muitos cães podem ser fontes de infecção, portanto a vacinação é a forma de prevenção mais eficaz, embora animais vacinados também podem apresentar a doença de uma forma mais branda”, explica.


Fonte: Myrela Moura - Diario de Pernambuco

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

GATO BRANCO É SURDO? GATO TRICOLOR É FÊMEA? VEJA MITOS E VERDADES SOBRE GATOS

Fonte: Myrela Moura - Diario de Pernambuco

Existem algumas crenças populares em relação às características físicas dos gatos. Abaixo, desvendamos alguns mitos em relação às curiosidades genéticas dos gatinhos.

Gatos de três cores são fêmeas
Quase sempre. Muito se diz sobre a identificação do sexo dos gatos a partir da cor e características da sua pelagem. A doutora em genética e biologia da UFRPE, Maria Mascena de Diniz, explicou que, na prática, os tricolores são fêmeas. “Isso é certo em 99% dos casos, já que a presença de três cores em gatos machos só ocorre caso haja uma anomalia cromossômica”, explica. Isso ocorre porque a cor da pelagem dos gatos é herdada dos pais do animal. 

No caso das gatas, ter três cores ocorrerá quando ela possuir um cromossomo X com o gene para amarelo/marrom (ou tons intermediários), o outro X com o gene para preto e o gene autossômico dominante para branco. Em relação aos machos, para ele ser tricolor, precisaria ter também dois cromossomos X (como as fêmeas) e a contribuição do gene para cor branca que está no cromossomo autossômico, além do cromossomo Y, que o torna do sexo masculino, porém devido ser resultado de uma aberração cromossômica, o gato tricolor (XXY) é estéril.
Gatos amarelos são machos
Não necessariamente. Como a cor amarela/marrom está condicionada a um gene dominante presente no cromossomo X, os gatos machos que só possuem um cromossomo X (XY), serão amarelos se apresentarem o gene para amarelo e o gene autossômico for suprimido (característica comum nos gatos “romanos” laranjas (gatos amarelos). Enquanto as gatas precisam apresentar nas duas cópias do cromossomo X o gene para cor amarela/marrom e suprimir o gene para a cor branca que está no cromossomo autossômico. Por isso, estatisticamente, existe uma fêmea amarela para cada três machos amarelos.
Gatos brancos são surdos
Não. O albinismo, ausência de pigmentação na pelagem, olhos e cabelos, resulta de um bloqueio na produção de melanina (pigmento escuro responsável pela cores presentes na pelagem). Os gatos albinos não necessariamente são surdos, uma vez que, a falta de pigmentos não estaria relacionada diretamente com problemas da audição. Provavelmente, gatos brancos (não albínicos) portadores da síndrome de Waardenburg, que normalmente são surdos, podem ser confundidos com gatos albinos. Normalmente gatos albinos apresentam olhos de cores vermelhas devido à falta de pigmentação, enquanto gatos brancos apresentam olhos pigmentados. 
Gatos com olhos de cores diferentes são surdos
Não. Felinos com olhos de cor diferente têm uma anomalia chamada de heterocromia que pode atingir homens, cães, gatos e cavalos. Gatos domésticos com esta característica recebem a denominação de gato de olho ímpar. Apesar de ter o componente genético envolvido, outros fatores podem concorrer para a heterocromia, como glaucoma, síndrome de Waardenburg, síndrome de Claude-Bernard-Horner e ainda traumatismos que podem ocasionar lesões. 

Comumente se ouve dizer que gatos brancos são surdos, especialmente, se são brancos de um ou par de olhos azuis. Entretanto, a surdez pode ocorrer, não devido a cor do olho, mas, a uma alteração no gene da cor branca que pode estar associada à síndrome de Waardenburg. Nem todos os gatos brancos de apenas um ou par de olhos azuis são surdos porque a variação de cor pode ser apenas uma heterocromia.

Fontes: 
Maria de Mascena Diniz Maia
Professora Doutora do Departamento de Biologia/Genética – Universidade Federal Rural de Pernambuco

Hildson Dornelas Angelo da Silva
Professor Mestre do Instituto Federal de Pernambuco – IFPE campus Garanhuns

Paulo Roberto Eleutério de Souza
Professor Doutor do Departamento de Biologia/Genética – Universidade Federal Rural de Pernambuco

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

ANIMAIS NÃO SERÃO MAIS RETIRADOS DO PARQUE 13 DE MAIO

Ministério Público de Pernambuco mudou de ideia após laudo do Ibama afirmar que bichos são bem cuidado

 

Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

 

 

Os 65 animais silvestres que vivem no Parque 13 de Maio não terão mais que deixar o espaço, como havia sido decidido em abril deste ano. O promotor do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Ricardo Coelho, voltou atrás da decisão após o Ibama ter vistoriado o minizoológico e concluído que os bichos estão “bem cuidados e adaptados”. Mesmo assim, as jaulas terão que ser ampliadas e passar por melhorias para garantir a permanência dos animais. As reformas devem ser realizadas pela Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), responsável pela administração do parque.
Além do Ibama, o promotor ouviu a veterinária dos animais e membros da Emlurb, da Secretaria municipal de Meio Ambiente e da sociedade civil para avaliar novamente o tema. “Todos foram favoráveis à permanência, por que o MPPE seria contra? Só me curvei à vontade desses órgãos, que fizeram vistorias minuciosas no local”, falou. O Ministério Público também realizou uma inspeção e o próprio Coelho visitou o parque no domingo passado. “Só tive boas impressões”, garantiu.
A discussão sobre a manutenção do minizoo veio à tona em fevereiro, com a criação de uma petição online que pedia a desativação do espaço. A iniciativa foi tomada pelo dramaturgo e cinegrafista Felipe Peres Calheiros, que é contra o confinamento de animais. Outros ativistas lembraram que em 2012 foi criado uma lei estadual que proíbe a permanência de bichos silvestres em parques e praças públicas.
O assunto ganhou repercussão e foi tema de audiência pública em abril. Na ocasião, o próprio promotor Ricardo Coelho pediu a retirada dos animais dentro de seis meses, alegando que o parque não tinha licença para manter o minizoo. Agora que desistiu da decisão, impôs como condição para a manutenção do espaço o cadastro de todos os animais no Ibama. O serviço deve ser realizado pela Emlurb, que também precisa apresentar um plano de reformas do espaço nos próximos 15 dias.

Fonte: Jconline Leia mais na edição do Jornal do Commercio desta quinta-feira (21).