sexta-feira, 12 de julho de 2013

UM ROTEIRO PARA CONHECER AS BELEZAS DE GARANHUNS, DURANTE O FESTIVAL DE INVERNO


 
O famoso relógio de flores de Garanhuns
No Planalto da Borborema, a 842 metros acima do nível do mar, Garanhuns se destaca como o principal município do Agreste Meridional de Pernambuco. No mês de julho, todas as atenções se voltam à cidade e seus 130 mil habitantes, segundo dados do IBGE. É que a temperatura, normalmente amena, cai ainda mais, atraindo quem foge do calor da capital. Na madrugada, só um casaco de frio atenua os dez graus que o termômetro marca.

Sua localização estratégica é a responsável pela temperatura anual média de 21 graus. Não é para menos, Garanhuns está cercada por sete colinas: Monte Sinai, Triunfo, Columinho, Ipiranga, Antas, Magano e Quilombo. Distante 230 km do Recife, o acesso à cidade pode ser feito pelas rodovias federais BR-423 e BR-424, além das estaduais PE-177 e PE-218. Uma vez na cidade, corra para o Relógio das Flores, que vem marcando as horas para os garanhuenses há mais de 30 anos e é o seu principal cartão-postal.
No mês de julho, a maioria dos visitantes faz check-in para ver e ser visto no 23º Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). A programação deste ano começa com Ney Matogrosso (19) e Caetano Veloso (20), como principais atrações do primeiro fim de semana de festival, e termina com Fagner, Daniela Mercury (26), Arlindo Cruz e Mart'nália (27), no segundo fim de semana. Além dos shows, o visitante pode aproveitar para conhecer outras facetas da cidade.

Dois parques são como pulmões verdes em Garanhuns. O maior deles é o Euclides Dourado, com cerca de oito hectares. Ali, pista de cooper, rampa de skate e parque infantil atraem adultos e crianças. A plantação de pés de eucalipto garante um visual único ao parque, que abriga ainda a Biblioteca Municipal Luiz Jardim. Não muito distante, o Parque Ruber Van der Linder, conhecido popularmente como Pau Pombo, é outra opção para caminhadas. Reformado em 1994, flores, fontes e grutas decoram a área.
No alto da cidade, o Cristo do Magano proporciona uma vista panorâmica ao visitante. Trata-se de uma imagem de Jesus com quatro metros de altura. Dizem, o mais alto do Brasil em relação ao nível do mar, já que está fincado a 1.030 metros de altitude. Vá agasalhado, porque a temperatura promete ser ainda mais baixa no local. A obra foi esculpida no ano de 1954 pelo artista Renato Pantaleão, já em Garanhuns. Descendo de volta ao centro, faça uma visita ao Mosteiro de São Bento, todo construído em tijolo aparente, bem ao estilo dos antigos mosteiros beneditinos.
Aos interessados em cultura popular, o Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti é a pedida. O espaço funciona na antiga Estação Ferroviária desde 1979, quando o prédio foi também tombado. Hoje em dia, a edificação de arquitetura inglesa é responsável por difundir a arte garanhuense à população e aos turistas. Ficando de olho na agenda teatral, pode calhar de assistir à uma peça no Teatro Luiz Souto Dourado, localizado no Centro.
Nem o Monumento do Ipiranga (conhecido como Pirulito, erguido em homenagem à Independência do Brasil) nem o Castelo João Capão (obra construída pelo próprio João Capão, trabalhador que queria, porque queria morar em um castelo medieval), no entanto, conseguem desviar a vocação religiosa de Garanhuns. A cidade abriga o Santuário Mãe Rainha, o 21º santuário construído no país, sendo uma réplica fiel do santuário de Schoenstatt, na Alemanha.
Fonte: Guilherme CarréraDiário de Pernambuco

O Cristo do Magano, uma das atrações da Suiça brasileira

UM EXCELENTE FINAL DE SEMANA

Nenhum comentário:

Postar um comentário