terça-feira, 14 de maio de 2013

TRICOLORES INVADEM AS RUAS DO RECIFE PARA COMEMORAR O TRICAMPEONATO

Torcedores celebravam os três títulos conquistados em cima do Leão

Os jogadores fizeram sua parte. Conquistaram mais um título pernambucano em cima do Sport, na Ilha do Retiro. O tricampeonato adquirido dentro de campo abriu a possibilidade de o torcedor coral comemorar fora das quatro linhas. Pelo terceiro ano consecutivo, os adeptos do Santa Cruz saíram de casa com o dever de celebrar um grande feito do Mais Querido.
E, para a torcida tricolor, missão dada é missão cumprida. A reportagem da Folha de Pernambuco esteve nesta segunda-feira nas ruas do Recife, obrigatoriamente ocupadas por tricolores em festa.
Na rota até o mercado de São José, o caminho estava permeado por bandeiras e camisas das três cores. O comerciante Roberto Ferreira foi o primeiro a provocar o Sport, adversário da final do Pernambucano. Algo que ainda seria repetido por diversas vezes ao longo do percurso. "A coisa mais fácil do mundo é ganhar do Sport. Nem comemoro mais", ressaltou o vendedor.
Um pouco antes de Roberto aparecer, a torcedora Maria da Conceição já andava pelas ruas em estado de êxtase, gesticulando e cantarolando músicas do Tricolor. "É só felicidade. Faz três anos que só dou lapada".
Os rubro-negros presentes no meio da festa coral não escapavam das brincadeiras. Torcedor do Leão, Fábio Câmara apostou que vestiria a camisa do Santa durante toda a semana caso o tricolor fosse campeão estadual. E garantiu que vai manter sua palavra. "É assim mesmo, aposta é aposta. Vão tirar uma foto e disseram que vão botar no Facebook", lamenta. 
Na chegada ao mercado de São José, uma recepção digna de campeão. A reportagem da Folha de Pernambuco avistou, logo de cara, uma grande bandeira coral. No tamanho e no legado. Giovani Leonidas anda com seu manto desde 1995. Com 18 anos de idade, a flâmula do Tricolor já presenciou muitas histórias.
Algumas tristes, como os três rebaixamentos consecutivos de 2006 a 2008. Outras gloriosas, como o tricampeonato conquistado em cima do Sport de 2011 a 2013.

Junto à bandeira de Giovani, mais um personagem apareceu. Roberval Rodrigues confessou que ainda não tinha conseguido parar de celebrar. "Foi a noite toda comemorando, não dormi e agora estou indo para o trabalho". O tricolor esperava contar com a compreensão do patrão. Afinal de contas, nesta segunda-feira, a sua maior profissão era ser Santa Cruz.
Em termos de empolgação, Roberval tinha um competidor. Egrinaldo de Castro, dono de um comércio no mercado de São José, não cansava de mexer com os colegas rubro-negros. "Eu sou tricampeão e eles são tri vice. No próximo ano, tem que mandar tirar a final do Dia das Mães", brinca o torcedor.
O Leão não sofria apenas com a coincidência de ter perdido dois títulos no Dia das Mães. Assim como no ano passado, a derrota no Estadual caiu no mesmo período do aniversário rubro-negro, que completa 108 anos de idade nesta segunda-feira. A quase todo instante, os tricolores se reuniam para prestar as homenagens ao clube rival e cantar os parabéns.
O vendedor de CDs, Fábio Adriano, também entrou na onda. Em seu repertório musical, só foram tocadas músicas que brincavam com o torcedor do Sport. "Essas músicas vão até de noite, de madrugada, sei lá. Até os rubro-negros explodirem de raiva. É uma delícia ser campeão, ainda mais com gol de Flávio Caça-rato", encerra o tricolor. 
Fonte: Folha.pe

No repertório musical de Fábio Adriano, apenas eram tocadas músicas para brincar com o Sport

Nenhum comentário:

Postar um comentário