segunda-feira, 20 de maio de 2013

PETS AUTORIZADOS EM SHOPPINGS E POUSADAS DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE. RESTAURANTES SÃO PROIBIDOS






Alguns shoppings da cidade já permitem que animais circulem nas áreas do mall, desde que em bolsinhas apropriadas ou no colo das clientes. Foto: Julio Jacobina/DP/D.A Press

Seja para programar uma viagem ou passeio curto, a preocupação dos tutores de pets é a mesma: levar ou não o animal de estimação? Para quem opta pela companhia do bichinho, é trabalhosa a procura de lugares que admitam a presença dos “acompanhantes”. Em locais particulares ou públicos, independentemente do serviço oferecido, mesmo com acesso liberado ainda existem algumas restrições quanto à presença de animais. Por esse motivo, é importante estar atento às normas dos estabelecimentos.

Na Pousada Pirata, localizada em Jaboatão dos Guararapes, os hóspedes dividem todas as dependências com Apolo, um labrador de cinco anos que vive no local desde seu nascimento. “Todos frequentadores adoram a presença dele aqui. É um cão muito especial”, conta o gerente Roberto Bezerra. A presença do cachorro funciona como um convite para todos os clientes, já que os animais são bem-vindos ao local. A empresária Patrícia Lira Siqueira, proprietária da pousada Alto Astral em Olinda também é favorável à novidade. “Aceitamos de qualquer porte. Já chegou em uma das pousadas cães enormes, mas nunca teve nenhum problema. É muito bom, acho lindo”. As hospedarias de Patrícia contam com área verde, local onde os bichos podem brincar e caminhar.

Locais simpáticos à presença de animais no Recife ainda são raros. Segundo o gerente geral da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária, Jaime Brito, não existe uma legislação específica sobre o assunto. “Este é um tema que deve ser regulamentado por cada estabelecimento. O local tem autonomia para definir suas regras”, esclarece. De acordo com o Código Sanitário de Pernambuco, apenas em estabelecimentos que comercializem alimentos, como restaurantes e bares, é proibida a permanência de animais. A autonomia dos estabelecimentos só não é válida quanto ao ingresso e à permanência de cães-guia em locais públicos e privados, incluindo restaurantes, pois o direito a deficientes visuais é assegurado pela Lei 11.126 de 2005.

Entre os shoppings localizados na Região Metropolitana do Recife, apenas três permitem que os clientes circulem com seus animais de estimação: o Rio Mar (na Zona Sul da cidade), o Plaza (na Zona Norte) e o Paço Alfândega (no centro). O acesso, no entanto, deve seguir certas regras, comuns a todos os estabelecimentos: o animal deve ser de pequeno porte e pode circular pelas dependências do mall - exceto a praça de alimentação - no colo, em bolsas ou carrinhos apropriados. As assessorias dos shoppings Recife e Tacaruna informaram que o ingresso é permitido apenas para utilizar o serviço de pet shop oferecido pelas lojas. O Shopping Recife acrescentou que não tem pretensão para aceitar a circulação mais ampla. “Também não temos expectativa de liberar. Acreditamos que pode impactar na segurança e bem estar dos clientes”, afirmou em nota. A assessoria do Shopping Boa Vista não se pronunciou sobre o assunto.

Para um passeio tranquilo e seguro em locais de movimento intenso, vale contar com a ajuda de alguns acessários apropriados para transportar cães e gatos. Na loja Cão Q Ri do Shopping Rio Mar são comercializadas bolsas que suportam até 6Kg que custam a partir de R$ 80,00 e carrinhos que suportam até 10Kg que custam R$ 1.490,00. Para clientes, a loja disponibiliza os carrinhos para um passeio pelo mall sem limite de tempo. O encarregado da loja, Adriano Barbosa, conta que o serviço é uma novidade. “É bem recente. Começamos dia dois de maio. Temos disponíveis quatro carros e é tão novo isso por aqui que as pessoas ficam com receio de usar, mas não cobramos nada para clientes”, garante Adriano.

A gerente de lojas Mariana Bione, 24 anos, opta por levar o poodle Zuma, de um ano, para tomar banho no pet shop do Shopping Rio e Mar e aproveita para passear com o cãozinho pelo centro de compras. “Quando caminho com ele por aqui algumas pessoas estranham e param para perguntar se pode. Chama a atenção já que é uma novidade”, conta. Em viagens, Mariana procura pela internet hotéis que possa ir com o Zuma e toma alguns cuidados. “Quando estamos de carro coloco um cinto apropriado nele, levo a caminha que ele costuma dormir, remédios, água e comida. Estou sempre preparada”.

O secretário de Direito dos Animais, Rodrigo Vidal, alerta os tutores sobre o risco de exposições a locais públicos. “É preciso garantir ao animal que o passeio será benéfico e que não perturbará a ele e às pessoas”, esclarece. Vidal ainda explica que é preciso seguir algumas regras. “As pessoas devem respeitar princípios gerais como segurança, higiene e silêncio. Cada local tem uma regulamentação própria, mas os donos devem ter essa preocupação”.

Fonte: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário