domingo, 7 de abril de 2013

A HOMENAGEM DE PEDRO MACEDO A OUTRO GRANDE RADIALISTA AMIGO: CLÁUDIO ALENCAR


Ambos foram meus diretores na Rádio Difusora de Alagoas. Em 1982, eu estava interinamente Diretor Geral da pioneira, substituindo Cyridião Durval quando Cláudio Alencar foi nomeado pelo governador para assumir a Direção da emissora oficial do estado. Após a sua posse, Cláudio Alencar acreditou em mim e me fez permanecer na Direção de Programação. Em 1984 assume a Direção Geral da pioneira outro grande amigo, Pedro Macedo dos Santos. Eu estava afastado, por ter sido exonerado após a saída de Cláudio. Recebí o honroso convite do Pedro Macedo para retornar à Direção de Programação da Difusora e lá fiquei até a minha aposentadoria em 1990.
Esse preâmbulo serve para mostrar aos amigos que ainda não tiveram a oportunidade de ler a crônica "Palavras para Você", escrita pelo Pedro prestando uma homenagem ao Cláudio Alencar:

Cassimiro de Farias Cardoso (Cláudio Alencar)

PALAVRAS PARA VOCÊ
Por Pedro Macedo
A idéia de quem acompanha a seqüência das crônicas Palavras para você é que somente pessoas falecidas podem ser focalizadas, ledo engano. As crônicas aqui publicadas servem para homenagear, exaltar, enaltecer a todos aqueles vivos ou mortos que pelos seus feitos, suas conquistas, pelo que fez de bom por sua comunidade, pelo seu Estado ou até mesmo pelo seu País merecem ser divulgados e reconhecidos. Hoje focalizamos uma dessas pessoas que por seus serviços ao povo alagoano merece o nosso destaque: Cláudio Alencar. Nascido Cassimiro de Farias Cardoso, alagoano de Maceió, Advogado, Procurador do Estado de Alagoas (aposentado), jornalista e radialista adotou o pseudônimo de Cláudio Alencar para atuar no rádio e televisão, diga-se de passagem, nome que o tornou até hoje conhecido aqui e alhures por estes brasis a fora. Para você Cláudio que apesar de aposentado ainda dedica horas preciosas as vezes até comprometendo o seu laser para através dos meios de comunicação levar aos ouvintes e aos leitores os seus guardados, com o objetivo de dar conhecimento de épocas memoráveis do cotidiano alagoano e relembrar os grandes nomes da nossa rica história. Palavras para você que ao ingressar no rádio no início da década de 50, logo demonstrou sua aptidão para as atividades de locutor apresentador animador, entrevistador, narrador, rádio-ator e produtor o que fez com grande desenvoltura durante toda sua carreira de mais de meio século. Palavras para você que por este maravilhoso desempenho galgou postos de direção nas emissoras alagoanas, principalmente como Diretor Artístico, quando responsável pela programação invariavelmente modificava a preferência popular para as rádios sob o seu comando. Para você Cláudio que juntamente com Rômulo Uchôa sabiamente mantido por você na Direção de Programação da Difusora, nosso amigo comum, ao assumir em 1982 a Direção Geral da Rádio Difusora de Alagoas conseguiu levar a emissora para perto do grande público, objetivo e missão de toda Rádio Oficial. E foi também neste período que a Rádio Difusora de Alagoas voltava a ser pioneira no rádio alagoano ao transmitir da Espanha a Copa do Mundo de Futebol. Outro interessante pioneirismo, inédito acredito eu, em todo País, foi a reportagem feita por você a bordo de um submarino da Marinha de Guerra do Brasil, mesmo com a precariedade de equipamentos da época, mas que com a inteligência e capacidade técnica do Baracho, pode pelo menos por instantes, transmitir dentro da embarcação. Palavras para você Cláudio Alencar por assumir com o povo de Alagoas o compromisso de contar a história do rádio alagoano e ai eu assumo a afirmativa que você em seus escritos não quer admitir, com a precisão sim, de um escritor-historiador. E o que dizer Cláudio do magnífico “Chão de Estrelas” programa levado ao ar de segunda à sexta-feira nos finais de noite onde se ouvia clássicos da musica popular brasileira, poesias e entrevistas com os mais importantes instrumentistas e cantores da época. E ao visitá-lo outro dia vi sobre a estante onde guarda os seus vinis, o LP de Orestes Barbosa e pronto lembrei-me de um fato acontecido na Rádio Gazeta de Alagoas. Era uma semana importante comemorava-se o aniversário da emissora. Você comandava a Direção Artística e eu um locutor ainda sem muita experiência. De repente sou surpreendido com a sua convocação para que juntos apresentássemos um programa musical a fim preencher um horário cujo apresentador estava impossibilitado de comparecer. Confesso tremi nas bases. Cláudio Alencar um ícone do rádio alagoano me convocava para fazermos juntos e de improviso um programa que de última hora entrava na grade de programação aniversaria da emissora. Orientação que me foi passada: “aqui estão os discos que iremos focalizar e a partir das informações da contracapa vamos fazer um introdução antes de anunciarmos as musicas. Respondi timidamente, tudo bem. Mais ou menos no estilo Chão de Estrelas iniciamos o programa com Cláudio Alencar tratando de apresentar a primeira música, com certeza para me deixar mais a vontade. O resultado foi ótimo para as circunstancias. Para os ouvintes pareceu um programa caprichosamente produzido e eu feliz da vida por cumprir a determinação a contento. Cito este fato para caracterizar Cláudio o seu senso de responsabilidade, para revelar a sua importância na formação de novos profissionais do rádio dando-lhes a oportunidade de crescimento e finalmente sobre a competência com que trata os assuntos artísticos. E agora Cláudio deixe-me falar do legado que você oferece ao povo de Alagoas: “Contando Histórias – O rádio em Alagoas e o Anedotário do Rádio” – 1991 – “Histórias do Rádio” – 2004 – e “Antes que eu me Esqueça”, crônicas – 2007, estando no prelo “Antes que Pontes Caiam” (coletânea de matérias que publicou em jornais em Alagoas, Pernambuco e São Paulo), parabéns. Muito mais teria para falar sobre a vida advocatícia, artística e literária de Cassimiro de Farias Cardoso – Cláudio Alencar, mas por certo outros falarão até mesmo com mais propriedade o que significa Cláudio Alencar para a radiofonia alagoana. Portanto amigo mais uma vez parabenizando-o pelos feitos, encerro aqui estas minhas Palavras para você.

Um comentário:

  1. Obrigado Rômulo, pela publicação da crônica Palavras para você que dediquei ao nosso ex-colega Cláudio Alencar.

    ResponderExcluir