quarta-feira, 20 de março de 2013

ANIMAIS DE VÁRIAS ESPÉCIES PODEM CONVIVER EM HARMONIA





Família da professora Simone Barros convive com vários animais de espécies diferentes sem grandes problemas. Foto: Maria Eduarda Boine/Esp.DP/D.A Press

Seja no mundo humano ou no mundo animal, a convivência é um dos grandes problemas quando de juntam em um mesmo espaço temperamento, características e necessidades distintas. Mas há quem encare o desafio de criar espécies diferentes dentro de casa e viver em plena harmonia. É o que garante a professora Simone Barros que mora com o marido e dois filhos em um apartamento onde também convivem dois cachorros, quatro hamsters, uma coelha, duas tartarugas e vários peixes.
Simone conta que a variedade de animais nunca foi um empecilho para a harmonia da casa. "Meus dois filhos são apaixonados por bichos e, por isso, eu e meu marido resolvemos abraçar a ideia de ter tantos animais em nossa casa", revela. Segundo ela, na chegada de um novo "morador", pode haver a troca de arranhões e rosnados, além de algumas ´trelas´ para chamar a atenção do dono, mas com tranquilidade tudo se resolve. "Nunca tive nenhum grande problema. São todos bem tranquilos", garante.                                                                                   

Mas nem sempre a convivência entre espécies diferentes é tão harmoniosa quanto na casa da professora Simone. Por isso, o veterinário Kennedy de Araújo diz que a melhor maneira de garantir uma boa convivência entre os animais é fazer a socialização quando eles ainda são filhotes. Após esse período, o relacionamento é mais difícil, mas não impossível. "Quando educados desde  filhotes há um respeito e uma harmonia maior entre eles", explica.
Simone dá algumas dicas valiosas para manter o equilíbrio. “Tento manter cada um em seu local próprio. Não posso deixar os hamsters soltos, por exemplo, mas a coelhinha fica solta tranquilamente junto com meus cães”, diz. O veterinário Kennedy de Araújo alerta que o espaço dedicado aos animais deve ser o mais amplo possível. Paciência também ajuda."Pode ser que eles não se entendam logo no primeiro encontro. Mas com o tempo e com o espaço para cada um, logo haverá um ambiente agradável para todos eles", garante.

Fonte:  Polyanna Vieira - Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário