domingo, 24 de fevereiro de 2013

Sabrina Sato, Cleo Pires e famosas posam para ajudar cães e gatos de rua






A ONG Ampara Animal convidou várias celebridades para posar para um calendário. A instituição cuida de cachorros e gatos abandonados e os ajuda a encontrar novos lares. Entre as musas convidadas estão Sabrina Sato, Cleo Pires, Ellen Jabour e Fiorella Mattheis.
A intenção é educar a sociedade em relação aos bons tratos a animais de rua. Para divulgar o projeto, o calendário reúne atrizes e modelos que apoiam a causa posando ao lado de animais com diferentes histórias de privação e abandono. Toda a verba adquirida com as vendas será revertida aos projetos da instituição. O preço do calendáro recheado de fotos de beldades com os cachorros e gatos é R$ 39,90 e pode ser comprado no site oficial da ONG www.amparanimal.org.br

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Secretaria lança campanha para adoção de animais


A Secretaria-executiva de Direitos dos Animais do Recife (Seda) lançou uma campanha para que os recifenses adotem animais abandonados. Em sua página no Facebook, o secretário Rodrigo Vidal explicou que quem acolher os bichos terá direito a transporte, consulta veterinária e ração de forma gratuita. 


"Este padrinho ou madrinha assinará um termo de posse responsável e receberá visita de assistência", explicou Vidal em depoimento na rede social. A campanha é devido ao grande número de gatos e cachorros que já foram recolhidos neste ano. "Nossa realidade atual é de mais de 100 mil animais abandonadas nas ruas. É por isso que precisamos conquistar lares temporários até que eles seejam adotados em nossos eventos de adoção", disse.

O secretário também ressaltou que irá realizar campanhas gratuitas de castração em massa, eventos de adoção e de educação da sociedade. "Essas políticas são necessárias para combater o abandono de animais nas ruas."

Os interessados devem enviar um e-mail para rcvidal@terra.com.br. A adoção pode ser realizada, também, por moradores de municípios vizinhos.

fonte:diário de pernambuco

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Musa divide seu coração entre o samba e os animais



Veterinária Alice Alves, que será musa da Portela, beija o porco Bebê
A dedicação ao samba é enorme, mas ainda sobra tempo para outra grande paixão: os animais. A veterinária Alice Alves, de 28 anos, que cruzou a Passarela do Samba este ano como destaque no desfile da Portela, tem em casa uma vasta criação de bichos. Ao todo, Alice cuida de quatro cachorros, seis gatos, um galo, dois jabutis, 10 pombos, um sabiá, um pássaro agapórnis e um porco de 250 quilos, chamado carinhosamente de ‘Bebê’.
“Cuido do meu porco desde que ele tinha 8 dias. Agora tem 5 anos. Ele foi dado para uma pessoa que não quis criar e eu assumi. Chegou muito magrinho, sem peso, quase morrendo. Tive que fazer uma série de medicações para salvá-lo”, contou Alice, que fez questão de montar uma casinha para o porco, com direito até a ar-condicionado para enfrentar o forte calor do Rio.
“Não faço por luxo, e, sim, para proporcionar uma melhor qualidade de vida para os animais. Até a ração dele importo da Argentina, porque aqui não tem uma tão boa”, revelou.
A veterinária, que trabalha durante a semana em uma clínica particular, faz também, por conta própria, uma trabalho de recuperação de animais condenados. “Tenho em casa um galo que iria ser usado em um ritual de magia negra, o encontrei amarrado na rua. Ele estava com uma doença respiratória muito forte e foi um mês de tratamento até a recuperação”, lembra, emocionada.
Maridão dá força e não nutre ciúmes
A relação da musa com a Portela não é de hoje: são 14 anos de amor. “Sempre desfilei na escola, mas em carros alegóricos. Este ano fui convidada para ser musa e fiquei muito honrada”, discursa. Para fazer bonito na estreia, a fantasia está avaliada em mais de R$ 90 mil: “É toda de cristal. Vou representar a formação da religiosidade através das festas católicas”.
Casada há 10 anos, ela garante que o marido não terá ciúmes de sua passagem na Avenida. “Ele é meu maior incentivador, meu melhor amigo. Está me ajudando com tudo e não se incomoda com o meu posto de musa. Vai estar na Sapucaí para me ver”.
Caratê é mais um atributo
Não é só no samba e na veterinária que Alice tem destaque. Ela já foi atleta da seleção brasileira de caratê. “Tive que escolher entre o esporte e a profissão. Como não podia machucar minhas mãos para cuidar dos animais, fiquei com a veterinária”, conta ele, que disputou competições fora do país.
Por ter praticado esporte por muitos anos, a musa tem facilidade na hora de cuidar do corpo:“Só estou fazendo mesmo uma dieta. A malhação, que já é um hábito o ano todo, vai me ajudar a pegar fôlego, já que vou ter que sambar muito durante o desfile na Avenida”.
Fonte: O Dia

sábado, 2 de fevereiro de 2013

E O DESRESPEITO AOS IDOSOS CONTINUA





Já falei sobre esse assunto, tanto no face como aqui  no meu blog. Mas, após encontrar esta imagem que reflete bem o que acontece nos ônibus, resolvi voltar ao assunto. Tenho observado, e acredito que também os meus amigos idosos que utilizam o transporte coletivo, a falta de respeito de alguns jovens e pessoas com certa idade no que se refere à ocupação dos assentos preferenciais que, por Lei, são destinados a pessoas idosas (a partir de 65 anos), gestantes e deficientes. Geralmente são seis cadeiras que ficam localizadas na parte da frente dos coletivos (em Maceió já observei ônibus com 5 lugares e outros com 7). Pois bem, é comum você subir num desses ônibus e encontrar jovens ou pessoas com idade inferior ao que pede a Lei, instalados confortavelmente e alguns, podem acreditar, fingindo estar dormindo. E os idosos, talvez com medo de represálias ou por educação, não exigem da tal pessoa o seu direito ao assento (eu, pelo menos não me atrevo), viajando em pé até o seu destino. E o mais incrível: já observei também, muitas vezes, que o dorminhoco “acorda” justamente ao se aproximar a sua hora de descer. E aí, paga a sua passagem, passa pela catraca e desce com a cara mais lisa do mundo. Reclamar? Pra quê? Educação vem de berço. Vale salientar que já encontramos muitas pessoas que realmente se levantam e oferecem o lugar para um idoso ou gestante, mas isso é a minoria. Se houvesse uma fiscalização das empresas (no Recife isso foi feito logo no início, mas acabou) a coisa seria bem diferente. Feito, mais uma vez o registro, apenas por desabafo.