sexta-feira, 31 de agosto de 2012

MAIS UM IMPORTANTE ARTIGO DO DR. MILTON HÊNIO

TRANSCREVO, PARA MEUS LEITORES, MAIS UM IMPORTANTE ARTIGO PUBLICADO POR ESSE EXCELENTE MÉDICO AMIGO, DR. MILTON HÊNIO NAS PÁGINAS DA GAZETA WEB:







13 ago
Nos tempos modernos uma boa parte das pessoas vive acompanhada de um inimigo persistente que lhes rouba a tranqüilidade de espírito, impede-as de conciliar o sono, produz a perda de humor e acarreta o surgimento de doenças pela quebra do seu sistema imunológico. Chama-se preocupação. Preocupar-se significa sofrer antes do tempo. Diz o Dr. Hans Selye, médico austríaco que criou o termo “estresse”, que a maior parte de nossas preocupações são juros pagos adiantadamente. No meu consultório vejo isso diariamente quantas mamães sofrem só em pensar que o filho pode estar com leucemia, porque um parente teve a doença; e não tem nada a ver. Pais preocupados criam filhos preocupados. A preocupação é uma invasão do futuro cujas ameaças estão apenas na nossa imaginação. Tenho amigos e clientes que me dizem: “sei que é errado, mas não consigo deixar de me preocupar”. Havia uma revista há alguns anos que tinha uma página cujo titulo era: “Rir é o melhor remédio”. Inegavelmente há muita verdade nesse titulo. O Dr. Pierre Vechet, um famoso psiquiatra francês já falecido, costumava usar de um expediente para forçar seus pacientes tensos a rir. Pedia-lhes que pronunciassem, frente a um espelho, a palavra “chesse” que em inglês significa “queijo”. O rosto contraído pelo esforço de pronunciá-la provoca invariavelmente, o riso. E então você relaxa.
Quando você se preocupa exageradamente sem motivo, seus pensamentos se voltam para as possíveis más conseqüências que advirão. Tem pessoas que vivem de preocupações crônicas, tenha ou não motivos para isso. Se as coisas estão indo muito bem ele se preocupa com a possibilidade de virem a causar mal. Se está gozando de boa saúde ele inquieta-se pensando na possibilidade de adoecer. O grande segredo para evitar que as preocupações nos assaltem é procurar viver cada dia em plenitude, agradecendo a Deus o momento presente, olhando a beleza do poente, do luar e do canto da passarada. Não devemos andar inquietos pelo amanhã. O próprio Cristo já sentia naquele tempo que as preocupações invadem a nossa vida e disse no belíssimo Sermão da Montanha: “Não andes ansiosos pela vossa vida. Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo vosso Pai celeste as sustentam”.
Vamos viver com alegria cada momento de nossa vida procurando sem sofrimento as soluções que irão ser encontradas para cada problema, na certeza de que um grande Amigo está pronto para nos ajudar na solução de todos eles: “Vinde a Mim todos os que estão cansados e oprimidos e EU vos aliviarei”. 

 UM BOM FINAL DE SEMANA PARA TODOS

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Gata ajuda menino com mudez seletiva a se comunicar com o mundo

Lorcan Dillon, de 7 anos, que não se comunicava, já diz à gata que a ama
Um menino britânico que sofre da rara condição de mutismo seletivo, que inibe a sua capacidade de se comunicar, vem contando com o auxílio de uma gata para conseguir falar. Lorcan Dillon, de sete anos, foi diagnosticado como portador dessa condição ainda aos três anos de idade, quando estava no jardim de infância.

A criança se comunicava em casa, mas fora do ambiente familiar seu comportamento era diferente. ''Notamos que ele não falava com as outras crianças'', afirma Jayne Dillon, a mãe da criança.
Jayne afirma ter visto um anúncio da entidade Cat's Protection, uma entidade britânica que oferece assistência a gatos e resolveu adquirir um animal para entreter a criança.
'Eu te amo'
Desde que ele ganhou a gata, batizada de Jessi-cat, seu comportamento mudou radicalmente. ''Ele fala com ela, diz: 'Eu te amo, Jessy'. Ela participa de atividades com ele, está ajudando-o a ter mais autoconfiança'', afirma Jayne.
As mudanças que a gata estaria propiciando ao pequeno Lorcan não se limitam ao lazer.
''Ele agora já fala com sua professora e até lê para ela, o que é impressionante para crianças com essa condição, que raramente falam'', relata a mãe.
CONDIÇÃO - De acordo com estudos, a condição de mutismo seletivo afeta cerca de três em cada 10 mil crianças. Mas outros especialistas dizem que a condição seria mais comum do que se imagina, atingindo até sete entre mil pessoas.
O mutismo seletivo tende a ser identificado em crianças de 3 a 6 anos de idade, mas acaba só sendo diagnosticado quando os jovens começam a frequentar a escola, onde fica mais fácil identificar a condição.
Mesmo após o diagnóstico, é difícil determinar as suas causas precisas. Ele pode ser provocado por diversos fatores, como problemas auditivos, defeitos de dicção, síndrome de Asperger, traumas ou ansiedade.

Fonte: BBC Brasil

domingo, 26 de agosto de 2012

Renato Aragão demite funcionário que o chama de Didi…

                              CONHEÇAM O LADO ARROGANTE  DE RENATO ARAGÃO


Cara de santinho, mas um verdadeiro arrogante

Toda aquela meiguice e espírito de solidariedade que Renato Aragão tenta passar diante
das câmeras, principalmente no Criança Esperança, não passam de interpretação. Ele
apenas faz a linha bonzinho.

Mas, na vida real, o humorista é completamente diferente (Dedé Santana que o diga...).

Renato é conhecido por sua arrogância.

Ele teve a coragem de dispensar um de seus motoristas que o chamou de Seu Didi.
Virou para o funcionário e disse: "Não é Seu Didi, é Doutor Renato". E mandou demiti-
lo em seguida.

Ui...
Fonte: Fabiola Reipert / r7 24/08/2012 11:10


quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Feira de Adoção de Cães e Gatos acontece neste sábado(25), em Maceió

Se você gosta e pode, adote

Acontecerá, neste sábado (25), mais uma Feira de Adoção de Cães e Gatos organizada pelo Grupo Vida Animal de Maceió (GVAM). O evento será realizado das 10h às 16h na rua Soldado Eduardo dos Santos, em frente ao Colégio Inei/COC, no Santo Eduardo.

O abrigo aceita doações e pede que a população conheça o projeto e que colabore com rações para cães e gatos.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

IELSON ÁVILA APRESENTA O JORNAL NACIONAL


Ielson Ávila, apresentando o JN (1975)

Em 31 de março de 2011 postei aqui no meu blog uma matéria sobre o meu amigo Iélson Ávila a respeito do Jornal Nacional.Reproduzo, aqui, a referida matéria e o motivo dessa reprodução é para mostrar a vocês uma foto que recebí recentemente do meu amigo Jalon Cabral Neto e que comprova a minha matéria que transcrevo:

Meu amigo Ielson Ávila, dono de uma bela voz, já foi noticiarista do Jornal Nacional. Esse mesmo JN que você assiste todos os dias na Tv Globo. Muita gente não sabe, em especial os novos jornalistas, mas no início das transmissões da  Tv Gazeta o Jornal Nacional apresentava, em Maceió,  uma parte com as notícias  locais. Era um tanto complicado e difícil naquela época (1975) quando do início do Canal 7, para uma equipe que estava começando e trabalhava com muito amor e dedicação. Não foi fácil para mim convencer Ielson que ele seria o novo apresentador do JN local. Mas Pedro Colllor ajudou e ele aceitou o desafio. Dito isto,  vou tentar explicar como isso - que pode parecer estranho para vocês- funcionava: na abertura do JN,  Cid Moreira apresentava as manchetes nacionais em destaque e num determinado momento, ao sinal do coordenador,  o operador master cortava a Embratel (era por meio dela a transmissão) e jogava no ar direto do nosso estúdio, com câmera ainda em preto e branco, a imagem de Ielson Ávila que anunciava duas ou três manchetes das mais importantes notícias de Alagoas. Após a rápida participação inicial do Ielson,  com o controle do excelente coordenador Everardo Sena, íamos direto para o bloco comercial. No bloco final do noticiário o Ielson voltava para complementar as notícias que haviam sido manchetes do dia em Alagoas. Não lembro quanto tempo isso durou, mas  era gratificante ver a vibração da equipe e do nosso diretor geral Pedro Collor quando tudo dava certo. E realmente nunca falhava.

Ielson Ávila 36 anos depois
                                           
.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

CÃOZINHO AMPUTADO É EXEMPLO DE SUPERAÇÃO




Pit bull London dá exemplo de superação depois de ter patas amputadas


A história de um pit bull que teve as duas patas dianteiras amputadas está mostrando para o mundo o poder da perseverança. Ele tinha seis meses de idade quando quebrou as patas ao cair do terceiro andar de um prédio. Ferido ele ficou sobre o asfalto quente a espera de socorro, o que acabou queimando as patas e a barriga do animal. Mesmo assim seus antigos donos não o levaram para o tratamento veterinário, o que agravou os ferimentos causados pela queda.

Após ser levado para uma entidade de proteção aos animais na Califórnia, a sorte do pit bull começou a mudar. O grupo entrou em contato com Amanda Giese, fundadora da Panda Paws, uma fundação que ajuda cães considerados "inadotáveis". No dia seguinte o animal foi levado para Vancouver, no Canadá, onde passou por avaliações de um grupo de veterinários.

Veterinários e ativistas que tiveram contato com London, viam nele uma fonte de inspiração de esperança. O jeito afetuoso e a animação do pit bull mesmo diante de tantas adversidades cativou a todos. Assim o cachorro ganhou o nome de London, em homenagem a cidade sede dos jogos olímpicos.
Eles concluiram que os danos causados nas patas do animal eram muito graves e que o fato de ele não ter recebido tratamento complicavam as chances de alinhamento dos ossos, para piorar ainda havia a chance de infecções e complicações dos ferimentos.
Os veterinários decidiram por amputar as patas de London, que desde então aprende a readaptar o corpo para se equilibrar sobre duas patas. Mesmo assim ele precisou de uma cadeira de rodas para aliviar a tensão sobre a coluna.

Assim a Panda Paws iniciou uma campanha na internet pelo site www.weareteamlondon.org para arrecadar os quase seis mil reais necessários para comprar o aparelho. Eles passaram a postar fotos e vídeos da recuperação de London, rapidamente as imagens ganharam o mundo e a meta foi alcançada.


Atualmente a campanha continua arrecadando fundo entre os internautas para que outros animais sejam socorridos pela entidade.



sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Cadela abandonada no topo de montanha nos EUA movimenta voluntários para resgate; dono fica sabendo da história e quer a cachorra de volta



Uma vista de tirar o fôlego não foi a única surpresa encontrada pelo casal Scott Washburn e Amanda após escalar o monte Bierstadt, na região do Colorado, nos Estados Unidos. No topo da montanha, ferida e com muita fome, a dupla encontrou Missy, uma cadela que havia sido abandonada no local.
Sensibilizados com a situação da cachorra, após cuidar dos ferimentos do animal com seus kits de primeiros socorros, o casal decidiu procurar ajuda. Eles publicaram em uma rede social para alpinistas a foto de Missy. Rapidamente, eles conseguiram formar um grupo de oito voluntários para ajudar no regaste da cadela. A operação demorou cerca de nove horas.
Para surpresa de Scott e Amanda, que pretendiam ficar com Missy após os cuidados veterinários, o verdadeiro dono da cachorra apereceu após ganhar conhecimento do resgate na web. Anthony Ortolani pediu desculpas por ter abandonado Missy e justificou sua atitude dizendo que a cadela havia se ferido durante a escalada e ele teve de optar por abandoná-la quando percebeu que não seria capaz de carregar o animal até o final da montanha.
“Tentei por duas horas carregar Missy, mas foi impossível. Chamei os bombeiros, mas eles disseram que a escalada seria perigosa demais para o resgate de um cão. Estou aliviado que Missy esteja bem“, publicou Ortolani, de 29 anos, na internet.
Segundo informações do Daily Mail desta sexta-feira (17/08), o futuro de Missy será discutido pela polícia local, que deverá decidir se a cachorra fica com o casal que promoveu seu resgate ou com o verdadeiro dono.
Foto: Reprodução/Daily Mail

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

VOCÊ GOSTA DE UM FORROZINHO PÉ DE SERRA?


Se você gosta de um bom forrozinho, daqueles pé de serra que atualmente, com raríssimas exceções, a gente ouve nas emissoras de rádio, sugiro que se ligue no site www. forrozeirosalagoanos.blogspot.com.
E, enquanto você viaja pela internet, fica curtindo o bom forró, relembrando também grandes sucessos. A dica me foi dada pelo meu ex-companheiro na rádio Difusora de Alagoas  Humberto Maia, que apresenta de segunda a sexta-feira o programa "Manhãs Nordestinas" pela Pajuçara FM de Maceió, logo cedinho. É um dos poucos programas que leva ao ar o autêntico forró nordestino. Parabéns ao Humberto Maia pelo programa.

Humberto Maia, um dos bons forrozeiros de Alagoas

sábado, 11 de agosto de 2012

CADELA CHAMA ATENÇÃO POR NÃO DEIXAR HOSPITAL ONDE DONO ESTÁ INTERNADO

O amor de Nina por seu dono
A "preocupação" de uma cadela com o dono que está internado no Hospital Irmã Dulce, no bairro de Roma, em Salvador, comove médicos, funcionários e pacientes. A cadela Nina escolheu uma calçada em frente à unidade de saúde para morar. “Ela fica aqui todos os dias. Como uma cadela bem educada, ela não entra no hospital”, diz o funcionário Marco Antônio. Nina não fez essa escolha por acaso. Dentro do hospital, no Centro de Acolhimento e Tratamento de Alcoolista, está internado o reciclador Renato Mário Santos, dono do animal. Quem frequenta o lugar diariamente atesta que quando Renato aparece, a cadela fica ansiosa e feliz. “Carinho, atenção, saudade e emoção é o que ela tem por mim. Estamos juntos há dois anos”, diz Renato. Ele explica que Nina sempre o acompanha no trabalho de reciclagem e fica o dia inteiro com ele. “Ela [cadela] indica até onde está a reciclagem. É proteção também, onde eu estiver ela não deixa ninguém chegar perto de mim, não deixa mexer nas minhas coisas, na reciclagem. Ela ataca qualquer um se colocar a mão em mim”, garante. O funcionário que acompanha diariamente a fidelidade da cadela ao reciclador, mostra-se comovido com a situação inusitada. “Mostra a real situação de amizade verdadeira. Como dizem as pessoas: mais vale um cachorro amigo do que um amigo cachorro”, afirma Marco Antônio.

Fonte: G1

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

DIREITO DOS ANIMAIS, DEVERES DA POPULAÇÃO

Em parceria, Débora Saito e Flávia Monteiro cuidam da saúde de Thor, vítima de um atropelamento (Foto: Janine Silva/CB/D.A Press)

Água limpa e fresca; comida de qualidade; ambiente limpo e espaçoso; ventilação e proteção ao sol são algumas das necessidades de qualquer animal. Direitos deles e obrigações daqueles que se dispõem a ter um pet. Por mais básicas e simples que pareçam, porém, muita gente se nega a tomar esses cuidados e deixam os bichos em situação vulnerável. Pior, muitos são abandonados, feridos e envenenados. Mas fica o alerta: o que alguns pensam ser apenas crueldade é também considerado crime ambiental.


De acordo com dados da Polícia Civil do Distrito Federal, só nos primeiros seis meses deste ano o número de denúncias de maus-tratos a animais já superou o total registrado em todo o ano passado. A informação é vista com bons olhos por Roberto Carlos Batista, promotor da 1ª Promotoria de Justiça de Defesa Ambiental do Ministério Públido do DF. Ele não acredita que a quantidade de agressões tenha aumentado, mas sim que as pessoas estão mais atentas ao descaso com os bichos. “Os veículos de comunicação têm insistido na questão da consciência ambiental e, consequentemente, a população se sente mais à vontade para denunciar os abusos." Batista incentiva a vigilância. Para ele, trata-se de uma obrigação. “A preservação do meio ambiente, de acordo com nossa Constituição, é trabalho de todos.”



Rede de proteção - Dálethy Santos, 21 anos, estudante de pedagogia, é uma protetora de animais independente. Ela se dedica a ajudar os bichinhos maltratados há três anos. Até então, foram 15 vítimas que ela cuidou e para as quais conseguiu abrigos. Uma vez, até recorreu à polícia para resgatar um cão abandonado em um lote fechado. Ela conta como nunca precisou tirar dinheiro de seu próprio bolso para ajudar bichos que encontra e sempre conseguiu donos e lares para todos: “Minha ferramenta é o Facebook”.



O último deles foi Thor, um cão filhote encontrado há aproximadamente duas semanas. Ele foi atropelado e passou quatro dias em agonia. Com a pélvis e a pata traseira quebradas, Dálethy descreve o estado em que ele se encontrava: “Thor tremia de dor. As pessoas passavam e não faziam nada”. Ao colocar fotos na rede social explicando o ocorrido, a estudante recebeu o apoio da dentista Débora Saito, 29 anos. A moça se ofereceu para pagar o tratamento e abrigar temporariamente o cão. Infelizmente, a situação de Thor era muito grave e o preço para curá-lo ultrapassava muito o que ela podia pagar.



As duas uniram esforços. Graças à rede social, conseguiram muitas doações. “Foi dinheiro, bicicleta para ser rifada e uma consulta com um dos melhores ortopedistas da cidade”, conta Débora Saito. Foi também pelo Facebook que encontraram Flávia Monteiro, estudante, 22 anos. Ela garantiu um lar definitivo a Thor, que ainda hoje estranha estranha um pouco a futura dona: “É um desafio cuidar de um animal que já foi tão maltratado. Tem que conquistá-lo”, constata Flávia. Ele se muda em breve, quando melhorar mais. O cão já caminha um pouco mais, começou a fazer fisioterapia na última semana e talvez passe por uma cirurgia.


fonte: diário de pernambuco

terça-feira, 7 de agosto de 2012

CENTRO TREINARÁ CÃES-GUIAS EM PERNAMBUCO

Animais passarão por treinamento específico para aprender sobre necessidades de seus donos

A Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos do Estado elabora um projeto para construir um centro de treinamento de cães-guias em Pernambuco. Todos os detalhes serão apresentados durante a 4ª Conferência Estadual da Pessoa com Deficiência, entre 20 e 22 de agosto, no bairro do Pina. Hoje, o estado conta com 1,9 milhão de pessoas com algum grau de deficiência visual.
O local onde ficará o centro de adestramento ainda não foi definido. Os recursos, porém, são provenientes da Secretaria Especial de Direitos Humanos. “São repasses do Viver sem limites do governo federal”, comenta o secretário executivo de Justiça e Direitos Humanos, Paulo Moraes. “A primeira fase é a sensibilização junto à sociedade. O cão guia significa inclusão social, um aumento significativo na qualidade de vida”, explica a secretária estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Laura Gomes.
fonte: diário de pernambuco

domingo, 5 de agosto de 2012

MARILYN MONROE PARTIU HÁ 50 ANOS

Marilyn Monroe

Este domingo é um dia triste para o cinema: há 50 anos, morria Marilyn Monroe. O mito deixou as telas aos 36 anos, em meio a muita polêmica. Teria se matado? Foi vítima de overdose de remédios? Assassinada? Fãs das inabaláveis teorias da conspiração não se cansam de alardear que a loura, encontrada sozinha em casa, fora providencialmente eliminada por motivos políticos – afinal de contas, envolvera-se com o presidente John Kennedy...

Fato é que o ícone continua nas telas. Recentemente, MM foi homenageada pelo filme Sete dias com Marilyn, dirigido por Simon Curtis. Michelle Williams deu show ao interpretá-la como a mulher sensível, insegura e humana às voltas com o exigente sir Laurence Olivier. Pelo menos aqui, os clichês ficaram de fora. Ao final, Olivier se rende ao brilho da estrela.

La Monroe deixou filmes elogiados, como O pecado mora ao lado e Quanto mais quente melhor, dirigidos pelo aclamado Billy Wilder. Nunca é demais lembrar: o último conquistou o título de melhor comédia de Hollywood, concedido pelo American Film Institute.

Como é de praxe, efeméride gera lucro. E os estúdios cinematográficos são do ramo. A Fox Filmes pôs no mercado a caixa Marilyn Monroe – 50 anos (R$ 199,90) com 13 longas estrelados por ela. Lá estão O pecado mora ao lado, Adorável pecadora, Quanto mais quente melhor e Os desajustados, entre outros títulos. 

Norma Jean Mortenson nasceu em 1926. Não conheceu o pai, a mãe morreu louca num hospício. Morou em orfanatos, passou muitos apertos em Hollywood. O primeiro papel de protagonista veio aos 26 anos, em Almas desesperadas, de Roy Ward Baker. Antes disso, ela fez pontas em clássicos dos anos 1950: O segredo das joias, de John Huston, e A malvada, de Joseph L. Mankiewicz. Hoje, cenas da atriz fazem parte do DNA do cinema, como a do vestido se levantando em plena rua, em O pecado mora ao lado. Entretanto, a performance mais célebre de MM se deu no Madison Square Garden, cantando um sensual Parabéns pra você na festa de aniversário do presidente John Kennedy. Norma Jean abalou a Casa Branca.

Fonte:diário de pernambuco

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

ABANDONADOS POR TRAFICANTES, PAPAGAIOS OCUPAM SUL




Um visitante diferente tem ganhado espaço em pleno cenário urbano e chamado a atenção dos moradores de Porto Alegre e de outras cidades do Rio Grande do Sul.
É o papagaio verdadeiro, ave típica das regiões Norte e Nordeste que tem sido encontrada com frequência no Sul.
O fato alertou os órgãos ambientais. Segundo o Ibama, essas aves não costumam fazer migrações. A suspeita é que tenham sido alvos de tráfico de animais.
Em Porto Alegre, o Ibama e a prefeitura iniciaram um censo, há dois meses, para calcular o número e estudar o comportamento e a adaptação das aves à cidade.
A estimativa inicial é de cerca de 300 papagaios na capital gaúcha. "Há alguns anos, nem registro de papagaio na cidade tínhamos", diz o chefe do núcleo de fauna do Ibama-RS, Paulo Wagner.
Já foram registrados 25 pontos onde as aves mais aparecem. A maioria se concentra em bandos e fica no topo de árvores frutíferas de ruas e praças. Outras cidades, como Caxias do Sul, também registram o fenômeno.
"O aparecimento deles não é natural. Esses papagaios são sobreviventes dos sobreviventes. São uma minoria que resistiu a um processo de tráfico e, em seguida, foi abandonada ou fugiu", diz Wagner.
Ainda de acordo com ele, a maioria das aves não tem a anilha, tipo de anel usado para controle quando são vendidas ilegalmente.
Segundo a coordenadora do programa de fauna silvestre da prefeitura de Porto Alegre, Soraia Ribeiro, a presença destas aves no cenário urbano ameaça espécies nativas.
"Por ser uma espécie exótica, eles se comportam como competidores. O passarinho daqui que quer chegar perto de uma árvore não tem nenhuma chance", afirma.
Após o censo, a ideia é capturar as aves e realocá-los no habitat de origem, em áreas verdes de Estados como Piauí, Maranhão, Tocantins e Bahia. (NATÁLIA CANCIAN)
Fonte: uol