quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

MAIS UM ARTIGO DO DR. MILTON HÊNIO

Eram nove horas da manhã. Chego na Praça do Centenário e, de repente, o trânsito para. Congestionamento de carros e ônibus. Buzinas em demasia. Provável obstáculo lá na frente. Fico olhando ao meu lado um senhor que se agitava. Buzinava sem parar. Falava ao celular. Saía e entrava no carro. Gesticulava. Tenso. Depois de alguns minutos a situação melhorou. E fiquei imaginando a vida daquele cidadão e de tantos outros que fazem do estresse a sua companheira. Não tem organismo que agüente. É preciso ter paciência nos tempos atuais para que possamos oferecer equilíbrio ao nosso corpo e termos uma vida mais longa, sem doenças. Hoje o mundo apresenta-se cheio de incertezas, de pessoas buscando o rápido e não o sensato. Feliz é o homem que pode encarar o seu dia com total segurança e que apesar de todos os obstáculos tem a paciência como sua grande companheira. Todas as manhãs as estrelas se apagam para dar lugar ao sol, e todas as tardes o sol morre para que as estrelas possam viver. Fazem isso há bilhões de anos e nós ainda não aprendemos a lição.
Os psicólogos clínicos vêm estudando os sentimentos negativos há muito tempo. A partir das últimas décadas, os neurologistas passaram a estudar cada vez mais os estados de ânimo como a raiva, angústia, depressão, ansiedade, e a influência profundamente negativa que exercem estes fatores sobre o nosso organismo e o nosso sistema imunológico. Suas defesas caem quando você está estressado. Pagamos caro por menosprezar o prazer, a paciência, a alegria de viver. A freqüência de depressões graves, de câncer, de úlceras, gastrites, problemas cardiovasculares, está crescendo assustadoramente em quase todos os países industrializados. A angústia e o desânimo representam um verdadeiro perigo para a saúde porque significam estresse e um verdadeiro convite para que se instalem as doenças em nosso corpo. A Universidade da Califórnia tem sido destaque no mundo da pesquisa da fisiologia do cérebro em relação aos pensamentos negativos e positivos. Os homens esquecem que a vida é uma passagem; vivemos no maximo 100 anos. Vida eterna é a outra. E sofremos, e lutamos, e nos desgastamos por coisas que não levam a nada. E surgem as doenças. Quanto mais evoluímos, mais nos esquecemos das pequenas coisas e que são importantes na caminhada da vida: gestos, sorrisos, abraços e o mais valioso, o respeito para com o semelhante.
Caro leitor: quantos caminhos existem à nossa volta? Inúmeros. Com paciência procure encontrar o melhor.
Lembre-se: não importa até onde você já chegou, para onde você está indo. O importante é que caminhe com paciência.
Nota do Editor: Este artigo foi publicado nas páginas da Gazetaweb

Um comentário:

  1. Sábias palavras de uma pessoa muito inteligente.

    Gosto muito de ler coisas boas assim.

    Meus parabéns ao grande Dr Milton.

    Eu te amo meu Pai Herói.

    Sua benção.

    ResponderExcluir