quarta-feira, 6 de outubro de 2010

MACEIOENSES TERÃO PRAZO DE 60 DIAS PARA SE ADEQUAR AO USO DA CADEIRINHA

Os brasileiros ainda estão tentando se adequar à nova lei das cadeirinhas, mas as dificuldades do mercado estão dificultando o processo de adequação. O produto continua em falta nas lojas da capital e interior e dezenas de listas de espera de consumidores se acumulam. Por este motivo, os motoristas de Maceió ganharam mais um prazo. O motorista que estiver circulando pelas ruas com crianças sem assento ou cadeirinha por enquanto não vai pagar multa.
A exigência do equipamento também tem causando transtornos a muitas famílias que tiveram que levar seus filhos para escola de táxi, contratar transporte escolar, ou alguns que deixaram de levar as crianças para a escola por falta de alternativas.
O superintendente municipal de Transporte e Trânsito, Jorge Coutinho, havia encaminhado ao prefeito Cícero Almeida um documento alegando as dificuldades enfrentadas pelos maceioenses para adquirir os equipamentos de segurança: assentos elevatórios e as cadeirinhas.
Nesta terça-feira, 5, o prefeito autorizou a prorrogação, por 60 dias, do prazo inicial de fiscalização em cumprimento a resolução nº 277/2008 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), que dispõe sobre uso do equipamento de retenção (cadeirinha) em crianças menores de sete anos em veículos. A determinação entra em vigor a partir de hoje.
Desde o mês de junho a aplicação da exigência está sofrendo adiamentos em virtude da dificuldade de oferta no mercado brasileiro. O prefeito considerou a reivindicação justa e optou pela prorrogação do prazo que se encerra no dia 4 de dezembro.
Fonte: Alagoas 24 Horas

Um comentário:

  1. Depois de tantos e tantos anos sem essa exigência, as pessoas sabiam que existia esta lei e nunca se deram conta do risco que os filhos passavam? Que situação difícil, hein?

    ResponderExcluir